Sobre mim

Se tem uma coisa que eu gosto de fazer é falar sobre mim! Me chamo Priscilla Castro, tenho 29 anos, sou jornalista, nasci em Brasília, mas morei 17 anos em Natal, onde fui criada e aprendi a ser quem eu sou hoje. Sempre fui apaixonada por viagens, pelo novo, pelo diferente e por tudo que me tirasse da rotina. Eu gosto de passear, de turistar, mas o que realmente me encanta é conhecer a cultura e o povo daquele novo lugar. Eu gosto de morar fora, de viver cada experiência, de sentar no banco da praça e observar os nativos, de olhar as diferenças, de comparar com o nosso Brasil. Eu gosto mesmo é de viver e, acredite: quem viaja é mais feliz.



Eu me formei em jornalismo há quase 8 anos pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte e, desde o segundo semestre de curso, trabalho como jornalista e sou completamente apaixonada pelo que faço. Já trabalhei em rádio, online, impresso, assessoria de imprensa, televisão e jornalismo internacional e ambiental. Aos trancos e barrancos, com salários baixíssimos e pouca valorização profissional, sigo firme na direção do jornalismo internacional, minha verdadeira paixão.

Mesmo assim, há vezes em que nem todo o amor do mundo consegue superar a minha Ecdemomania (impulso mórbido, ou obsessão, em viajar ou passear. Desejo compulsivo de perambular longe de casa ou do lar, fugir de casa) e hoje estou, pela sexta vez, longe do meu país.



Em 2006, decidi aproveitar as férias da Universidade para sair do país pela primeira vez. Então com 19 anos e ainda estagiando, implorei pela minha mãe por um intercâmbio de 2 meses e consegui ir para Toronto, no Canadá. Eu sempre gostei de viajar e de conhecer novos lugares, mas mal sabia eu o quanto essa viagem ia despertar o meu lado “nômade”. Tanto tomei gosto que, assim que me formei, em janeiro de 2009, parti mais uma vez. Dessa vez, resolvi estudar espanhol na cidade de Salamanca, Espanha, onde fiquei também por 2 meses.

Voltei e resolvi me dedicar ao jornalismo. Comecei a trabalhar como repórter em um jornal impresso de Natal e me apaixonei ainda mais pelo que eu fazia. Em março de 2010, saí de Natal e voltei para Brasília para procurar um novo emprego. Consegui e comecei a crescer profissionalmente, mas sentia que ainda me faltava alguma coisa. Eu precisava viajar de novo, mas dessa vez tinha que ser por muito tempo. Como eu não tinha dinheiro suficiente, embarquei no programa de Au Pair. Mexi todos os meus pauzinhos e em fevereiro de 2011, estava voando para a cidade de Sacramento, na Califórnia, onde morei por 9 meses.

Por motivos pessoais, precisei sair do programa, mas continuava não querendo voltar para casa, sentia que precisava terminar o que havia começando. Me mudei, então, para a cidade de Vancouver, no Canadá, onde pretendia ficar por mais 1 ano. No entanto, Deus tinha outros planos. Com 3 semanas no novo destino, quebrei o pé e precisei voltar para o Brasil.

Poucos meses depois, em 2012, arrumei um emprego na TV Record, em Brasília, onde fiquei por quase 3 anos. Nesse meio tempo, ainda arrumei um tempinho para ir estudar francês em Paris, por um mês, e consegui me inserir novamente em uma nova cultura. Em 2015, pedi demissão e fui encarar a dura tarefa de trabalhar para a Organização das Nações Unidas (ONU) no Brasil, onde adquiri uma experiência e um aprendizado sem tamanho. Mas, como tudo na vida é passageiro, saí e decidi me dedicar a alguma coisa na minha área fora do país. Estávamos em setembro de 2015 e comecei a me preparar para viajar mais uma vez. No dia 31 de janeiro de 2016, eu peguei voo para a cidade de Berlim, na Alemanha, onde moro há quase 8 meses.





Muita gente não entende o que me motiva a ser assim, mas é assim que eu sou feliz. É assim que eu tenho ânimo pra acordar de manhã e correr atrás do que eu quero. Você não precisa entender ou concordar, mas se quiser, pode contar comigo para dicas, depoimentos ou o que quer que seja!

Viajar é viver!

Beijo da Pri.


0 comentários:

Postar um comentário