quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Turismo: Brasileiros movimentam o mercado em português na Inglaterra


por Priscilla Castro


O alto número de brasileiros que visitam Londres todos os anos movimenta o mercado de turismo em português na cidade. Cerca de 187 mil brasileiros visitaram a capital inglesa em 2016, representando um gasto total de 196 milhões de libras. Pensando nisso, brasileiros que moram na terra da rainha estão investindo no negócio do turismo exclusivamente voltado para a brasileirada.

Registrando tudo em Notting Hill


Os dados são do Escritório Nacional de Estatísticasdo Reino Unido, que registram apenas aqueles que apresentam o passaporte brasileiro na imigração. Entretanto, os números reais são ainda maiores, visto que muitos brasileiros possuem dupla cidadania e preferem entrar na Europa usando o passaporte local (europeu). Seja a lazer ou a negócios, o brasileiro é um povo que ama a capital inglesa.

Por isso, as opções são muitas para os turistas brasileiros que lotam Londres todos os dias. De tours em bares a tours históricos e personalizados, pequenas empresas ou guias autônomos oferecem passeios guiados exclusivamente em português não só dentro, como fora da cidade de Londres.

Para dar uma ajudinha aos que estão planejando visitar terras londrinas e ainda não se sentem confortável o suficiente com o idioma local, ou simplesmente preferem passear com a boa e velha energia brasuca, separei alguns tours oferecidos por brasileiros na Inglaterra.






Rafael Maciel - 'Guri'


O gaúcho Rafael Maciel, ou ‘Guri’ como ele mesmo se intitulou, trabalha como autônomo, no mercado de turismo de Londres, desde 2014. Formado em comunicação, ele resolveu aliar as paixões pela cidade e pela informação, transformando-as num negócio.

Com o objetivo de mostrar a capital inglesa de um lado mais alternativo, saindo dos pontos turísticos óbvios, os seguintes passeios são oferecidos: Rock britânico, os Beatles, Harry Potter, Guerras Mundiais e Pubs Históricos são as opções de passeio oferecidos, sendo este último o mais procurado.

Diferente de um ‘Pub Crawl’ regular, o tour oferecido pelo Guri começa mais cedo (às 17 horas) e acontece duas vezes na semana: às terças-feiras e às sextas-feiras. O diferencial é que, além de experimentar cervejas locais em diferentes bares de Londres, o guia conta a história de todos os lugares do roteiro, como ano de inauguração, nomes famosos que visitaram o lugar, fatos importantes para a história, entre outros.

No total, o tour passa por 14 pubs, com paradas em cinco deles para provar uma cerveja e bater um bom papo com os outros participantes. No pub The Anchor, por exemplo, ficamos sabendo que o Samuel Pepys, um dos administradores da marinha britânica no século 17, escreveu o diário dele sentado em uma das mesas, enquanto assistia Londres queimar no grande incêndio de 1666, do outro lado do rio.

Além disso, pontos como Catedral de São Paulo, Millenium Bridge e Shakespeare’s Globe estão no roteiro do passeio. “O público é mais de turistas, porque as pessoas que moram aqui veem que é um tour de pubs e pensam que é só isso, mas tem muito a parte histórica também, muita informação que gente que mora aqui há 10 anos ainda não sabe”, acredita Rafael.

Galera brasileira no Pub Crawl do Guri

Ele conta que percebeu a existência do mercado quando veio visitar a cidade pela primeira vez, em 2012. “Fiquei aqui durante dez dias e percebi que havia muita coisa a se explorar, mas não tinha muita informação na palma da mão. Voltei para o Brasil e comecei a me preparar, estudei muito sobre a cidade, sobre a história e vi que tinha muita coisa que não era óbvia e que cabia ser explorada”, conta.

As avaliações dos tours são as melhores possíveis no TripAdvisor. Rafael atribui o sucesso à leveza dos passeios. “A pessoa está de férias, então quer algo mais fácil de consumir, um tour não tem que ser uma coisa formal e jornalística, então as pessoas se sentem à vontade”, explica ele.

É importante destacar que todos os tours são a pé, portanto cobrem uma parte da cidade. A partir de outubro, um novo passeio entra na rede do Guri in London: o tour das realezas, que vai passar por palácios e castelos importantes da história do Reino Unido, alguns ainda desconhecidos por muitos.

O tour dos Pubs históricos custa 20 libras + 20 reais ou 24 libras. Para mais informações sobre preços e os outros tours, acesse:

Instagram: @GuriinLondon




Tour Fotográfico Westminster. Foto: Juliana Lauletta

O Canal Londres, já bem conhecido na comunidade brasileira na Inglaterra por seus vídeos de entretenimento e notícias sobre o Reino Unido, resolveu também entrar no mercado de turismo para a comunidade lusófona. Fruto de uma parceria entre os sócios Silvino Ferreira, Manoella Valadares e Denise Neves, a start-up oferece 24 tours em sete diferentes categorias.

Silvino
Há os tours básicos e tradicionais, que te levam para os pontos icônicos de Londres, mas também tours diferenciais para públicos específicos, que gostam de arte, gastronomia, moda, estilo de vida. Doze guias fazem os passeios por diferentes lugares da Inglaterra sob os temas Arte & Design, Fotografia, Museus, Roteiros de Charme, Fora de Londres, Lifestyle e História. De acordo com Manoella, o cardápio é orgânico e está em constante mudança, se adaptando conforme às exposições e eventos disponíveis nos museus.

Denise e Manoella
Aliando o sucesso já consolidado do Canal Londres com a experiência da Manoella e Denise, o negócio começou recente, está no mercado apenas há três meses, mas as expectativas são as melhores possíveis. “Ficamos três meses trabalhando nos tours, pesquisando quem seriam os guias, porque a intenção é fazer um tour de experiências com guias experts no que estão mostrando”, explicou Manoella.

Um exemplo é o tour de Richmond, feito pela fotógrafa e jornalista Ana Rojas, que mora no local há mais de cinco anos. Além disso, a start-up conta com guias com certificação Blue Badge para os museus.

Para Manoella, que mora aqui há três anos, o mercado ainda tem muito a ser explorado. “Além da comunidade brasileira, que é muito grande, Londres é uma das cidades mais visitadas do mundo, é inesgotável e tem programas diferentes para todos os dias do ano”, diz.

Tour Richmond. Foto: Leticia Nascimento


Os tours tradicionais são os mais procurados, mas as experiências fora do comum são o diferencial do projeto. O preço varia entre 39 e 189 libras. Para mais informações, acesse:

Instagram: @londrestours




Mônica e clientes


A proposta da jornalista Mônica O’May é um pouco diferente das anteriores. Ela oferece tours personalizados organizador de acordo com os gostos, tempo, orçamento e até a localização em que o cliente está hospedado. Desde estudantes a família inteiras, ela prepara um roteiro para cada paladar, além de montar rotas também para quem tem mobilidade reduzida, levando em consideração facilidade de acesso dos locais e do transporte público.

“Cada tour é diferente do outro. Tem gente que quer fazer um programa mais alternativo, ou pessoas que já vieram várias vezes na cidade, então cada um tem sua especialidade”, explica Mônica, que também oferece uma gratificação especial para os arquitetos. “Também incluo bairros com prédios bacanas para serem conhecidos, falo um pouco da arquitetura, etc”.

Mônica conta que desde que se mudou para Londres, há cinco anos, é requisitada pelos amigos turistas para leva-los para passear, ou ajuda-los com dicas e informações básicas. Mas foi só depois de viajar para Berlim e contratar uma guia brasileira para acompanha-la, que ela resolveu largar o emprego de jornalista e migrar para o mercado do turismo.

Clientes 


“Eu vi que existia mercado para isso e, como eu já fazia de graça para os amigos, transformei numa profissão. Não foi fácil, larguei meu trabalho e me dediquei a isso. Minha filha fez meu website, meu logotipo, e aí fomos investindo nas redes sociais, e fomos crescendo. A maior parte dos clientes vem por referências de pessoas que fizeram e gostaram”, conta ela satisfeita.

No início, Mônica realizou alguns tours em inglês e chegou a guiar casais alemães e italianos, mas depois resolveu focar no mercado brasileiro pela identificação com o público-alvo. “Eu vi mesmo que os brasileiros são meu nicho, porque é meu povo, meu país. As pessoas que eu atendo não estão interessadas em saber de que ano é o azulejo da catedral de São Paulo, eles querem mais sentir o clima, a vibe da cidade, saber um pouco mais de atualidade, os bairros mais bombados, os lugares da moda, alguns pontos históricos bacanas”, conclui.

Para mais informações, acesse:
Instagram: @londonlondonguia


HELOÍSA RIGHETTO 



Tour Mulheres Incríveis e seus legados


Por último, mas não menos importante, o Brasil Observer experimentou o tour “Mulheres Incríveis e seus legados”, feito pela colunista feminista Heloísa Righetto nas ruas do centro de Londres. Com o objetivo principal de trazer à tona a história de mulheres importantes para a história do Reino Unido, o tour acontece uma vez por mês, percorrendo 9km num período de três horas de papo, aprendizado e descontração.

Dentre outros pontos, o passeio passa por monumentos e placas dedicadas a mulheres que realizaram feitos incríveis nas mais diversas áreas, incluindo uma parada especial no National Portrait Gallery, para mostrar e contar a história de mais uma dessas mulheres incríveis, que pouco são conhecidas e faladas no mundo.

Heloisa começou a fazer o tour recentemente, há poucos mais de três meses, mas já reconhece o feedback positivo dos que participaram. “A reação tem sido maravilhosa, as pessoas ficam surpresas, inspiradas. No tour passado, até bateram palma para mim quando eu terminei de falar”, conta.

Incentivada principalmente pelo pouco reconhecimento aos legados de britânicas e estrangeiras que fizeram história no país, ela pesquisou e resolveu montar o passeio para divulgar os fatos.

“Londres é uma cidade histórica, cheia de placas, monumentos, e eu comecei a perceber que não existia de mulheres. Então comecei a correr atrás disso, fui ver onde elas estavam e, a partir do meu envolvimento com feminismo, isso ficou ainda mais atiçado. Sabemos que a história é contada por homens para homens, mas cada a outra parte? Existe 50% da população que fica esquecida, mas que fizeram feitos enormes e deixaram legados maravilhosos”, acredita.



A maioria esmagadora do público do passeio que Heloísa oferece é feminina, mas ela convida os homens a participarem do projeto. “Entendo que muitos homens se sintam intimidados, mas não queremos provar que ninguém é melhor ou desmerecer o que eles fizeram, queremos apenas mostrar que eles estão no topo de uma pirâmide de privilégios e que nós disparamos milhas atrás deles e que, se nós os alcançarmos, será positivo para todos. Então que eles venham e que se tornem vozes pela gente, porque o espaço deles é muito maior”, conclui.

Para mais informações, entre em contato:
Instagram: @helorighetto


0 comentários:

Postar um comentário