sábado, 23 de setembro de 2017

Custo de vida em Londres

Hello peeps.


Long time no see!

Fiquei sumida mesmo, passei muito tempo sem postar dicas sobre países, mas é porque a vida tá uma loucura mesmo. Em Berlim, estava na correria do Mestrado e, antes mesmo de sair de férias, já me voei pra Londres pra começar um estágio de nove semanas (que já acabou). Ou seja, sem tempo mesmo. Mas decidi tirar uns minutinhos hoje e vim aqui falar pra vocês sobre um tópico que tem gerado bastante questionamentos nos últimos meses: csto de vida em Londres.

Bom, como eu já falei nesse post aqui (quando escrevi sobre o baixo custo de vida de Berlim), “custo de vida” é uma questão relativa porque depende muito do padrão de consumo e moradia que cada um leva, se bebe, se gosta de comer fora, qual tipo de transporte utiliza, etc. Mas eu vou falar de uma forma bem geral sobre os preços em Londres, usando como base os meus dois meses lá, tudo bem?

Bom, a fama de Londres de ser uma cidade cara é totalmente justa. Eu fiquei lá nove exatas semanas, não viajei, não vivi em balada, não comprei roupa, e gastei o equivalente a cinco meses em Berlim. Juro real oficial! De cervejas a transporte, tudo custa os olhos da cara. Mas é inegável que o mais caro de Londres é mesmo o aluguel.





A média de preço para alugar um quarto num apartamento/casa dividido com outras pessoas, nas zonas 1/2/3, que são as mais centrais, varia de 600 a 800 libras por mês, incluindo contas como água, luz, internet, aquecimento, diarista, IPTU, etc. Claro que você pode encontrar apartamentos mais baratos (vi gente pagando 500 libras) e mais caros (vi anúncios de 900 libras), mas essa era a média do que eu paguei, do que vi quando estava pesquisando e do que as pessoas que eu conheci pagavam. Lembrando que, quanto mais longe do centro (zonas 1 e 2), mais barato o aluguel.

O transporte é outra coisa que tem o preço muito acima da média também. Basicamente, são quatro os meios principais de transporte público: metrô (undergound), trem (overground), DLR (Docklands Light Railway) e ônibus, sendo esse último a forma mais barata de se locomover na cidade.  Cada passagem de ônibus custa 1,50£ e te dá o direito de pegar até dois ônibus em 90 minutos, para qualquer lugar da cidade (porque é muito provável que você precise pegar dois ônibus pra chegar ao seu destino). Se quiser comprar o passe semanal só para ônibus, sai por 21£.

Parada de ônibus em Londres.


Já com o metrô, como a cidade é dividida em zonas, o preço depende de onde você sai e para onde você vai. Por exemplo, se você mora na zona 5, mas trabalha na zona 1, precisa comprar o passe que cobre essas cinco zonas, portanto vai pagar mais do que se você morasse na zona 2, por exemplo. Então pense bem na hora de alugar um quarto numa zona afastada na intenção de economizar com aluguel e acabar gastando bem mais com transporte.

Como eu morava na zona 1 e tinha a maior parte dos meus compromissos entre as zonas 1 e 2, só posso falar sobre preços nesses locais. O valor da passagem unitária de metrô nas zonas 1 e 2 é de 2,40£, mas se você precisa pegar um ônibus para estação e depois o metrô, vai gastar 3,90£ nessa brincadeirinha, já que, diferente de Berlim, as passagens em Londres não são integradas. Por isso, muita gente prefere comprar o passe semanal que dá direito ao uso ilimitado de todos os transportes (33£) ou o mensal (126,80£). Ah, táxi é caro também. Eu não usei nenhuma vez (nem Uber).

As compras da semana no mercado são a coisa mais barata da lista. Eu comprava coisas básicas (frutas, verduras, chocolate, chips, atum, alguns pratos prontos, queijo, bolacha), sem carnes e sem coisas de limpeza, e geralmente gastava em torno de 35£. Já comer fora pode sair bem caro. Cada sentada num restaurante, por mais simples que fosse, me custava entre 12 e 20£. Se eu fosse em algo mais “arrumado”, no estilo Outback, pode separar de 30 a 50£, dependendo do que for beber.

Sair para tomar uns bons drinks também não é nada baratinho. As entradas das baladas variam de 5 a 15£, cada pint (copo de 600ml) de cerveja nos pubs varia entre 5 e 6£, enquanto um drink (caipirinha, cosmopolitan, moscow mule) sai na casa dos 9-11£. Para quem fuma, a situação é ainda pior. Cada carteira de cigarro custa entre 7 – 11£. Ugh!

Galera brasileira no Pub Crawl


Assim que cheguei, precisei comprar algumas coisas básicas para o meu quarto, que, apesar de mobiliado, não tinha roupa de cama, lixo, travesseiros, etc. Mas óbvio que, como estudante/estagiária, fui direto na Primark (já falei dela no post de Berlim) e na Poundland (guardem esse nome pra VIDA!), que é uma loja onde (quase) tudo custa 1£. Acho que com tuuudo que eu comprei nessas duas lojas, gastei umas 100£ (mas comprei bastante coisa). De compras, esse foi o máximo que eu fiz, porque estava com outras prioridades para o meu dinheirinho.

Gente, mas se uma coisa é boa nessa cidade é a parte cultural. Os melhores museus são de GRAÇA! Isso mesmo, grátis, gratuito, free, 0800, liberaaado. Rsrs Alguns são pagos (Museu do cinema, Museu da Publicidade, Museu do Sherlock Holmes, entre outros), mas os maiores e mais importantes (Museu da História Natural, Museu da Ciência, Victoria& Albert, Tate Modern, etc) têm entrada franca. Maravilha, não? Até eu que não sou fã de museu me joguei nessa e olha, vale a pena. Depois faço um post só sobre museus para vocês.



Opções maravilhosas também são as peças de teatro e os musicais. Das pesquisas que eu fiz, os preços variam entre 15£ (valor que paguei pelo musical “42nd street”) e 250£ (preço na categoria mais cara da peça Harry Potter and the Cursed Child). Mas eu dei MUITA sorte e consegui comprar Aladdin por 25£ e a peça do Harry por 40£!! (Foi literalmente o dia mais feliz da minha vida hahahaha). E, claro, cinéfila assumida como sou, não posso deixar de falar do cinema. Na rede Odeon (a única que fui), o ingresso custa entre 7 e 10£. Se pare mais para pipoca e refrigerante.

O bom de Londres (no VERÃO!) é que tem muitas opções de lazer em lugares públicos, a céu aberto, como parques, feiras, espaços culturais (muitos com música ao vivo). Fora os passeios maravilhosos pela orla do rio Tâmisa, dar aquela volta em Greenwich, sentar e admirar a London Eye. Como eu gosto de andar (no VERÃO!), eu perdi a conta de quantas vezes saí de casa para bater perna na Oxford Street, Camden Town, Southbank Center; e os Free Walking Tours (checa esse do Jack, o Estripador que eu fiz), que não me canso de indicar aqui para vocês, porque é sempre uma aventura maravida e barata.




Por último, mas não menos importante, academia. Bom, Londres tem academia pra todos os gostos e bolsos, das mais simples (as redes) às mais chiques e milionárias. Eu fui por uma questão de proximidade de casa/custo e me matriculei na Pure Gym, que é uma rede com várias academias espalhadas pela cidade, nada muito chique, mas com bom espaço e aparelhos novos. Como eu ia ficar apenas dois meses, não valia a penas pegar plano semestral, então optei por pagar mensalmente. Cada mês custou 35£ e a academia funcionava 24 horas por dia.



Acho que cobri as coisas mais gerais, né? Se tiverem mais alguma pergunta específica sobre custo de vida, manda bala aí nos comentários.


Beijos,


Pri. 

0 comentários:

Postar um comentário