terça-feira, 1 de novembro de 2016

Custo de vida em Berlim

Hallo Leute!

Hoje, quero escrever um pouco sobre o custo de vida na cidade de Berlim, capital da Alemanha, onde eu morei por 8 meses (jan-set 2016).

Em primeiro lugar, sabemos que essa questão de “custo de vida” é muito relativa, pois depende muito do padrão que cada um leva, como foi criado, quais as prioridades nos gastos, etc. Então eu vou tentar falar aqui de forma geral, mas claro que vai ter uma influência pessoal do meu padrão de vida em tudo que eu colocar aqui. Vou tentar ser o mais imparcial possível, though.

Em segundo, vou deixar claro que não existe isso de converter nada do que eu vou falar aqui para real, ok? Se você vai morar na Alemanha, a moeda que você vai usar será o Euro e ponto final. Não tem nada a ver ficar multiplicando por 3 o 4 tudo que você for comprar, senão não faz o menor sentido você sair do Brasil para cá. Melhor ir pra Argentina, ok? Até porque se você vai vir a trabalho, vai ganhar seu salário em euros; se vai vir estudar, vai ter que ter os 8 mil EUROS na conta, ou seja, é tudo euro e pronto!




No meu caso, eu estava no primeiro ano como estudante de idioma, então não podia trabalhar legalmente e o valor permitido para uso mensal pela minha conta alemã era de 670 euros por mês, o que não dá para sobreviver, a não ser que você more num quartinho de 10 metros quadrados, numa localização mais afastada, e não tenha praticamente nenhum lazer.

Trabalhar ilegalmente em bares e restaurante é complicado por aqui na Alemanha, eles são muito certinhos com isso. Conheci apenas 2 ou 3 pessoas que trabalhavam “no black” (como chamamos) nesses locais, mas recebiam 8,50/h. Sem falar que, em muitos casos, você vai precisar do alemão para se comunicar com os clientes, né? A menos que fique na cozinha. Muita gente opta por fazer faxina em residências, mas não é a minha praia não.

Eu fui me virando e arrumando meus jobs de baby-sitter pelo tempo que fiquei lá e, no final do mês, me ajudava bastante. A média cobrada é de 10 euros/ hora, então se você trabalhar 3h por dia - 3x na semana, já tem 360 euros a mais no fim do mês. Ajuda ÓTIMA, né? Ou seja, tinha uns 1.000 euros por mês e me virava de boa, dividindo apartamento e abrindo mão de algumas coisas. Eu tive uma temporada bem “econômica” em Berlim e me policiava bastante para não gastar além da conta com coisas mais supérfluas como compras e festas, mas claro, ainda fiz essas coisas de maneira comedida.

Claro que eu poderia trabalhar mais, com diferentes famílias, nos horários e dias que eu estava livre e ter muito mais dinheiro para fazer mais coisas, mas eu não quis. Eu já tinha aula de alemão toda manhã e esse job algumas vezes na semana, então queria descansar ou sair nos outros dias. Nas vezes que viajei, precisei trazer mais dinheiro do Brasil, mas ainda assim os meus gastos mensais saíam muito mais baratos do que os que eu tinha no Brasil, onde eu não pagava nem aluguel.

E haja fazer contaaasss, meu Brasil!

Em termos práticos, se você tem um trabalho concreto ou mamãe e papai para ajudar nas despesas, é muito barato viver em Berlim. Eu sempre falo que Berlim é uma cidade com baixo custo de vida, principalmente quando comparamos com cidades do Brasil, outras capitais europeias (Paris, Londres, Madri) ou as grandes cidades da Rússia. Acho que muita gente vai discordar de mim nesse ponto, mas eu acredito que se você quiser viver bem em Berlim, sem muitos luxos, mas ter um apartamento só seu, viajar regularmente, comer bem e conseguir comprar umas roupas bacanas uma vez ou outra, conseguirá fazer isso com um salário de 2.000 euros por mês.



Vou explicar em exemplos práticos! O aluguel de um apartamento estilo kitnet (1 quarto + cozinha e banheiro) com mobília e contas inclusas (aquecimento, água, luz, internet) em uma localização mais central (Friedrischain, Kreuzberg, Neukölln, Prenzlauer Berg, Mitte, Moabit) pode variar entre 700 – 950 euros. Se você preferir alugar apenas um quarto e dividir o apt com outras pessoas (shared flat), você consegue por 320 – 500 (isso varia muito pelo tamanho do quarto, tipo das mobílias e proximidade do metrô).

Comida, no geral, é muito barata em Berlim, principalmente nos supermercados. Claro que existem os mais caros e os mais baratos, que vendem produtos da própria marca da loja (Aldi, Penny, Lidl) e que são o suficiente para satisfazer as necessidades do dia a dia, principalmente se você vai morar sozinho ou em shared flat. Eu costumava ir Lidl ou Penny 1x por semana e cada compra dava uma média de 20-25 euros, porque eu sempre levava cerveja, vinhos e comidas prontas congeladas que são mais caras, né? Já no mercado Kaiser’s, por exemplo, a compra costumava dar 30-35 euros. Portanto, escolha bem o meracdo.

Ainda sobre preços de mercado, alguns valores dos mercados mais baratos que mencionei acima:

·         1 garrafa de vinho Cabernet Sauvignon – 1,70
·         1 lata de cerveja Berliner – 0,40 (lembrando que se você retornar a lata, recebe 0,25)
·         1 pote de Nutella tamanho médio – 2,50
·         1 pacote de biscoito de arroz ou de milho – 0,90
·         1 pacote de batata Lays (ou similar) – 0,70
·         1 caixa de leite – 1,00
·         Coisas mais caras: abacate, limão, carnes.

Ah, e te prepara: os caixas são mais rápidos que o Usain Bolt na hora de passar as compras. Jogue tudo no seu carrinho, cestinha, pague e saia correndo como se não houvesse o amanhã para outro local do mercado, para colocar as coisas nas suas sacolas, senão serás fuzilado com olhares alemães!

PS: Os carrinhos de compra são “alugados”, então você precisa deixar uma moeda para poder destravar a tranca e liberar o carrinho; na volta, ao travar novamente, a sua moedinha sairá linda de volta para você. O valor da moeda varia de mercado para mercado, mas geralmente é 50 centavos ou 1 euro.

Comer fora também não é caro, principalmente os maravilhosos e deliciosos kebabs (comida turca) que estão por toda a parte. Um Kebab ou um Falafel in Brot (no pão) geralmente custa entre 2,50  -3,50 e enche muuuito. Claro que não é para comer isso todo dia, né? Mas depois da balada, é essencial! Rsrs Quanto aos almoços, você consegue comer uma refeição bacaninha por 6 - 7 euros em um restaurante mais simples. Alguns oferecem pratos prontos por 5 euros também.  Mesmo se você quiser uma coisa mais requintada para levar seus pais que estão visitando, ou um jantar romântico, ou algo para comemorar seu aniversário, também não vai gastar muito. Com 40 euros você pode comer muito bem e tomar aquele vinho!

Sempre achamos ofertas: Os melhores 10 pratos por menos de 5 euros.


Já o transporte em Berlim não é dos mais baratos. Cada passagem (seja de trem, ônibus, metrô, bondinho) custa 2,70, mas funciona de forma integrada, ou seja, você pode pegar um ônibus, depois o metrô e ainda um bondinho para chegar ao seu destino, tudo com o mesmo ticket. A regra determina que você tem um determinado tempo para usar esse ticket (não lembro se é 1 ou 2 horas), e ele serve apenas para um sentido, ou seja, você não pode usar o mesmo para voltar.

Mas, se você vai morar em Berlim, o aconselhável é comprar o ticket mensal, que custa 81 euros e dá acesso ilimitado a todos os transportes, 24 horas por dia, ainda com o benefício de “levar” alguém nos finais de semana, feriados e todos os dias após às 20h. Ou ainda, você pode comprar o passe anual, que custa 62 euros por mês e, geralmente, é debitado direto da sua conta. Sai beeeem mais barato, né?

As noites de Berlim também não precisam sair caras. Claro que se você for para os bares mais chiques, como aqueles que ficam localizados dentro de hotéis, você vai gastar mais, mas no geral, com 30 euros você consegue pagar a entrada da boate e uns bons drinks lá dentro. Se você quiser sair da festa trocando as pernas, leve uns 40.. Rsrs A entrada geralmente custa entre 6 – 12 euros (depende do tipo de festa) e as bebidas são mais caras que em bares, claro. E se você for beber em um “boteco” ou em house parties, com 15 euros, você pode sair satisfeito.

E roupas, eletrônicos, etc? Também não são caros!! Temos as nossas queridas C&A, H&M, Forever 21 e a QUERIDA Primark (a mais barata de todas, mas, claro, com menos qualidade) para nos abastecer enquanto não ficamos ricas! Além disso, Amazon e E-bay ajudam muito nas comprinhas de aparelhos eletrônicos ou acessórios quaisquer. E não vamos esquecer da loja Saturn (eletrônicos) e da Ikea (coisas de casa), que estão lá sempre que precisamos delas! :D

Se for na Primark, prepare-se: está SEMPRE lotada! Rsrs


Eu não posso falar especificamente sobre custos de água, luz, internet, porque no meu contrato, já estava tudo incluso, então não sei os preços detalhados de cada coisa.

Com tudo que eu falei, ainda sobra dinheiro para você dar um pulo em Praga ou Vienna ou Munique ou onde quer que queira, a cada 2 meses, né? Então, faz sua poupancinha e venha, que vale a pena demais! Pelo menos, na minha opinião! J

Beijinhos direto da fria e congelante Rússia,

Pri.








0 comentários:

Postar um comentário