quarta-feira, 13 de julho de 2016

Was könnte besser sein? O que poderia ser melhor?

Hallo, Leute! :D


Voltei e dessa vez é pra falar sobre as coisinhas não tão "agradáveis" aqui da Alemanha. Claro que nada é geral, nem todo mundo pensa do mesmo jeito, mas esses pontos que vou abordar aqui são citados pela maioria dos brasucas que eu converso. Mas permitam-me deixar BEM CLARO uma coisa: nenhum desses "defeitos" da Alemanha são barreiras intransponíveis que cheguem a ser motivo para não morar aqui ou que sejam para sempre uma pedra no seu sapato. Tudo é questão de adaptação e as coisas que, no início, são problemas, depois viram fatos normais, porque você simplesmente se acostuma e aprende a viver assim.






Vamos lá?

Bom, pra começar eu preciso falar da LÍNGUA ALEMÃ. Modéstia a parte, eu sempre tive uma facilidade grande com idiomas e sempre consegui pegar bem rápido as línguas que aprendi, mas o alemão me dá um trabalho que me faz querer desistir de sequer tentar! Ô idiomazinho do cão, viu? Conheço muita gente que demorou mais de 1 ano pra conseguir ter uma conversa fluente e ainda mais tempo pra conseguir conversar sobre assuntos sérios, como economia ou política. E conheço gente que mora aqui há 5, 6 anos e só fala o básico! É claro que essas pessoas não se esforçaram pra aprender e desistiram logo no início, mas é mais comum do que se imagina.

Em BERLIM, você consegue se virar com o inglês, inclusive morar e trabalhar, porque acho que 90% das pessoas aqui tem boa prática na língua e tem oferta de emprego em start-ups (e outros lugares) para fluentes apenas no inglês. Mas gente, não me venham largar tudo achando que aqui com o inglês vocês vão arrumar um emprego na primeira semana e eles vão te dar o Visto de trabalho e tudo o mais, porque não é assim que a banca toca não. EXISTE oferta, mas existe também MUITA procura, ok? Não viaja na maionese aí não. E mais: isso é BERLIM, ok? Já ouvi de amigos alemães que em outras cidades do país, a coisa não é tão fácil assim. 

Hã? Oi? Quê? Como?

Cuma? Hein?


Eu conheci alemães que não falam inglês? SIM, CONHECI, mas poucos. Houve, inclusive, situações em que eu me esforcei para falar o alemão achando que a pessoa não saberia inglês, mas fui respondia em inglês (provavelmente, perceberam que meu alemão é uma bosta e acharam melhor falar logo na língua que supuseram que eu conhecia... Rsrs). 


Gente, é IMPOSSÍVEL aprender?? Claro que NÃO! Mas é difícil, demora, e requer mais dedicação do aluno do que o "normal".  O problema é que, além de ser muuuuuito difícil, cheio de regras sem sentido, cheio de verbos que mudam de posição, cheio de declinações maluquitas, eu, particularmente, acho o alemão um idioma não muito bonito, sem melodia, ríspido e muito direto. Pra piorar, o alemão é uma língua que o brasileiro não tem nenhum tipo de contato, correto? Não temos na escola, não vemos na TV, não ouvimos no rádio e nem online costumamos ler esse idioma quase em canto nenhum. Eu, que já tinha morado em 4 países e conhecido alguns alemães, não sabia falar "Olá" antes de vir pra cá.

Esse vídeo obviamente é uma sátira e, como toda sátira, é exagerado, mas retrata superficialmente o que eu falei há pouco.

O vídeo foi produzido pelos meninos do  CopyCatChannel 

Outra coisa que eu faço questão de comentar que me irrita às vezes é a personalidade dos alemães. Nem vou falar "cultura" porque, no geral, eu até gosto da cultura alemã de serem sempre sinceros, falar sem rodeios, serem pontuais, comprometidos e até, respeitarem as regras. Gosto, principalmente, de como são educados, inteligentes, culturais e receptivos. Fui muito bem recebida por todos os alemães que conheci e, quando falo que sou brasileira então, aí é festa. Eles são completamente fascinados pelo nosso povo e nossa cultura. Me sinto muito acolhida aqui.

Mas nada é perfeito e a personalidade fechada e desconfiada deles é difícil superar, no início. Eu, que faço amizade até com o cara que vende cachorro-quente no meio da rua, aqui arrumei pouquíssimos amigos alemães. Veja bem, não é que eles não virem nossos amigos. É que eles demoram a se abrirem, a criarem confiança, criam um certo distanciamento antes de aprofundar a amizade. Eles estão errados? Não, gente. Não tem isso de errado ou certo. É apenas a forma como eles levam a vida e o brasileiro é acostumado a virar amigo em 2 minutos, né? (Eu, pelo menos, sou) Então, no início temos um pouco mais de dificuldade. Mas ÓBVIO que há exceções. Eu tenho sim amigos alemães, com quem converso, troco confidências e encontro com frequência, mas poucos. Os outros amigos são quase sempre brasileiros, latinos, italianos, irlandeses ou australianos, o que também está ótimo porque são culturas parecidas com a nossa.

Ainda nesse tópico de "jeito alemão", eu tenho que falar do atendimento em bares/restaurantes... Mermão, ô povo sem paciência. Não espere sorrisinhos e simpatia dos garçons porque não vai ter. Na minha comemoração do mestrado, escolhi um bar super cheio, numa rua super cheia, no dia do jogo da Alemanha ne Eurocopa, ou seja, tava um caos o atendimento, né? OK, até aí a gente entende. A garçonete que estava nos atendendo era SUPER gente boa e educada (exceção, acredite!) e o garçom um ogro tosco. Minha amiga tinha pedido uma cerveja fazia 20 minutos e perguntou educadamente a ele se ele podia verificar o que tinha acontecido e ele respondeu da forma mais grossa do planeta: "Se você já pediu, apenas espere. É tudo oq você pode fazer." Claro que a gente retrucou e insistiu pra ele ver o que tinha acontecido, mas só resolveu quando falamos com a garçonete gente boa.

E o caixa do supermercado, então? Uhhh!!! Se você não jogar suas compras no carrinho em forma de duplo twist carpado pra sair logo da fila, se prepara para as "caras feias". E os porteiros das baladas? HAHAHA Meu bem, você pode ser linda como a Gisele Bundchen ou rica como a Paris Hilton, se ele não for com a tua cara, você NÃO VAI ENTRAR e o "não" vai vir da forma mais grossa possível. Eu estava na fila de um pub com uma amiga e o porteiro foi super grosso com ela e eu falei até baixinho, mas meio que dava pra ouvir "aff, só podia ser alemão". Pra quê eu fiz isso? Ele não era alemão e se sentiu super ofendido com a comparação (Oi?), não deixou eu entrar e me mandou vazar da cara dele Hihihi :D Saí com o rabinho entre as pernas e nunca mais eu vou chamar ninguém de "alemão" de novo. Rsrs

Eu também poderia falar aqui do frio como uma das piores coisas do país, mas não seria o meu ponto de vista verdadeiro. Eu amo frio! Eu amo inverno! Eu amo botas, sobretudos e cachecóis. Eu amo ligar o aquecedor. Eu amo dormir toda enrolada. Eu amo chocolate quente. Eu amo vinho. Aí você pode me perguntar: "Ah, Priscilla, então você fica vagando pelas ruas de Berlim em janeiro e fevereiro, olhando pro tempo, passeando pela neve?". NÃO. Eu ando rápido, praticamente correndo, pra entrar logo em algum lugar com aquecimento porque geralmente meu nariz tá doendo de tão frio e as bochechas estão petrificando. Óbvio que essa parte não é uma maravilha, mas a cidade é tão estruturada pro inverno que você sabe que o frio que sentir no rosto (apenas no rosto, porque você pode cobrir corpo TODINHO com as roupas apropriadas) vai ser passageiro e jájá você vai estar quentinha.


Nada que um look desse não resolva. 

Ou se fantasiar de esquimó...

Agora CLARO que a cidade fica menos "viva", amanhece tarde e escurece cedo, as pessoas saem menos de casa, não há festas a céu aberto e, por isso, eu coloquei o VERÃO como uma das melhores coisas do país, mas no geral, não posso considerar o INVERNO a pior coisa daqui, porque tem lá suas maravilhas. Mas se você é aquela pessoa que ODEIA frio, que sente dor, passa mal, por favor não venha no inverno, ok?


Acho que tá bom, né gente? Como dizem minhas amigas, eu falo mais que o homem da cobra.
Vamos deixar as curiosidades alemãs para o próximo post, que acho que vai ser o melhor! :D
Não se esqueça de se inscrever no canal pra não perder nenhum post!

Beijos de pérolas,


Pri.

0 comentários:

Postar um comentário