domingo, 24 de julho de 2016

A Praga que agrada...

Pessoal, hoje vou falar pra vocês sobre uma das cidades mais lindas que conheci na Europa até agora: PRAGA, capital da República Tcheca.

Aproveite e se inscreva colocando seu e-mail ali do ladinho direito para ser notificado sempre que houver um postzinho novo por aqui! :D


Já estava morando na Alemanha há 4 meses e ainda não tinha feito nenhuma viagenzinha sequer por aqui. Isso, pra mim, era inadmissível. Logo eu, que vivo pra viajar, estava há 4 longos meses no mesmo lugar. Como podia isso? Tá certo que tudo ainda estava meio sendo novidade, já que meus 2 primeiros meses foram pra decidir o que eu ia fazer, que visto iria pegar, onde iria morar, se iria trabalhar e se queria mesmo estudar o alemão.  E os 2 meses seguintes, depois de decidir, foram para organizar e colocar todos os planos em prática. Ufa! Finalmente, com tudo certo, tratei logo de pesquisar algum destino perto e barato (porque, né?), que eu ainda não conhecesse, pra passar pelo menos um final de semana e sair do que já estava virando rotina. (Sim, eu sou a louca da rotina, odeio rotina, e canso de tudo em 2 minutos.)


Magnífica Praga
Pesquisa vai, pesquisa vem, conversa com amigos, entra no decolar.com, no booking.com, lê blogs e grupos no Facebook, escolhi PRAGA. E não poderia ter feito escolha melhor!! Não falei pra ninguém e comprei a passagem sozinha 1 semana antes de partir. Eu queria mesmo viajar sozinha pra poder desfrutar um pouco a minha companhia e conhecer uma nova cidade do meu jeito. Apesar de ter feito 4 dos meus 5 intercâmbios sozinha, eu nunca tinha viajado sozinha para turistar. Era a primeira vez e eu estava sentindo um pouco de receio e empolgação, tudo misturado. Fiquei com medo de me sentir forever alone, totalmente sem amigos, mas foi uma das melhores viagens de passeio que eu já fiz. E quero viajar sozinha mais vezes.

Mas vamos lá, cut the crap and get to the point!!! Quero antes de tudo destacar que eu fiz praticamente tudo a pé pela cidade, não peguei nem táxi, nem metrô pra quase nada (mas também fiquei apenas na parte turística de Praga 1 e Praga 8, não fui muito além disso).




O primeiro passo foi olhar as passagens para ver direitinho se o custo era viável. E como era. Comprei ida e volta de ônibus pela empresa Eurolines por 22 euros. A viagem durou 4h30 e o ônibus era super confortável, com wireless a bordo, cadeiras reclináveis, ar-condicionado (estava quente, na época). Saí na noite de uma quinta-feira às 19h e voltei na manhã da segunda-feira, às 6h30, ou seja, tive 3 dias inteiros para aproveitar a cidade e garanto que não foi suficiente. Ainda quero voltar e ver muito mais.

Bom, cheguei na estação central de Praga por volta das 23:30 já desesperada sem saber como iria para o hostel, pois o metrô fecharia à 00:00 e eu não tinha trocado nenhum euro pela coroa tcheca (moeda local), então não tinha como comprar a passagem direto nas máquinas, os guichês já estavam fechados, e os taxistas são conhecidos por serem enroladores oficiais de carteirinha. Já me imaginei caminhando pelas ruas tchecas no auge da madrugada com a malinha nas costas. A sorte é que o metrô em Praga é igual ao de Berlim: não existe catracas, você compra o ticket e apresenta para o controlador quando ele aparecer. 

Eu NUNCA andei sem o ticket em Berlim e aconselho fortemente a ninguém fazer isso, pois as multas são altas e o mico é grande, MAS, contundo, entretanto, todavia, eu estava perdida em Praga, sem saber falar a língua local, a 20 minutos de não ter mais sequer como ir embora... Entrei na primeira estação que vi, REZANDO para não aparecer nenhum controlador até o meu caminho pra casa. Graças a Deus, deu tudo certo, tive que trocar de trem 2x, mas eram estações próximas e quando cheguei na estação do meu destino, pedi orientação na rua e logo achei meu hostel! E dei sorte, porque praticamente ninguém em Praga fala inglês (a não ser, óbvio, em locais turísticos), mas Deus acompanha os pobres e solitários viajantes! :D 

Como cheguei no hostel tarde (era mais de meia-noite) e muito cansada (tinha trabalhado durante o dia), preferi dormir pra começar cedo o meu dia na sexta-feira. Eu havia feito uma reserva num "Free Walking Tour" na cidade, que começaria às 10h30 da manhã. Pra quem não sabe, algumas empresas oferecem tour totalmente grátis por várias cidades turísticas do mundo inteiro e os serviços geralmente são muito bons, você paga apenas a gorjeta para o guia, SE quiser, sem nenhuma obrigação para tal. Eu escolhi o tour da empresa Sandemans, reservei online, imprimi meu voucher e fui mimbora. Como eu havia pegado o pacote do hostel sem a opção de café-da-manhã, eu saí morrendo de fome e parei numa conveniência para comprar uma cerveja (era a dose de carboidratos e eletrólitos que eu precisava). Chegando no local do tour, totalmente sozinha, com a minha amiga Cerveja que tinha custado 25 centavos de euros, entreguei meu papel ao carinha e esperei. Eis que, do nada, me aparece uma americana perguntando se esse era meu café da manhã diário. Resultado: ficamos amigas e passamos o resto da viagem juntas (ela também estava sozinha). Rsrsrs

Colleen and I

Sobre o tour: O tour começou na hora marcada. Recebemos uma guia ótima, que nos levou por toda a parte histórica da Cidade Velha e também na área judia e na Cidade Nova, explicando toda a história do país, o famoso Rei Charles, as Guerras (principalmente a II GM), a dizimação dos judeus, a influência soviética na Guerra Fria, tudo. O passeio completo deveria durar 3h15min, mas acabou durando mais porque paramos para almoçar e acabamos atrasando, mas, mesmo assim, não ficou cansativo, nem chato, e foi super bacana conhecer toda a parte histórica de Praga e entender tudo que aconteceu no país nos últimos séculos, inclusive durante a Guerra. Eu, particularmente, AMO história, então conhecer os detalhes antigos sobre a Europa é algo que me fascina.






O tour acabou por volta das 15h, então voltei para o hostel pra descansar um pouco, pois havia comprado o ingresso de um Beer Tour (Tour da Cerveja) que começaria às 18h. Marquei com a Colleen, a nova amiga americana, e fomos. Éramos cerca de 12 pessoas do mundo todo e o guia, um novinho theco super gracinha, que nos levou para diferentes pubs da cidade para experimentar diferentes tipos de cerveja, além de explicar um pouco sobre a história e a produção da bebida. Para quem não sabe, a República Tcheca é o país do mundo onde mais se consome cerveja por pessoa (mais que a Alemanha!!) e a produção lá é grande e as cervejas são muito boas. O tour custou 300 coroas tchecas (cerca de 12 euros) e dava direito a uma cerveja diferente de 500ml em cada bar. Ao final, alguns se juntaram e fomos rodar alguns pubs da parte central para continuarmos bebendo, claro. Rsrs

A cara do guia do Tour foi a melhor. Rsrs

Aproveitei pra deixar meu recadinho no Pub Tcheco.


No sábado, acordamos um pouco mais tarde e fomos passear pelo outro lado de Praga 1 que ainda não tínhamos visto, andamos pela famosa Charlie's Bridge, fizemos o passeio de barco e depois fui com um americano que estava no meu quarto no hostel continuar o passeio. À noite, fomos para o Beer Museum, um bar super conceitual e bem famosinho por ter vários tipos diferentes de cerveja, inclusive o tipo degustação. Bebemos um pouco lá e fomos para uma boate MARA, cujo nome eu esqueci totalmente agora. Hahah Ficamos lá até umas 4 da manhã e fomos embora.

Eu e os gringos.


No domingo, eu tirei o dia só pra mim, coisa que não tinha feito desde que cheguei e que era o objetivo total da viagem, e fui visitar o Castelo de Praga. Mas chegando lá, encontrei uns israelenses da Beer Tour e acabei ficando quase o tempo todo com eles. Rsrs Mas Meu Deus, que lugar LINDO. É parada obrigatória, uma das coisas mais imponentes da cidade. O castelo mais parece um bairro, é rodeado por lojinhas, jardins, museus, igreja e outras atrações. Você não precisa pagar para entrar na área do castelo, mas se quiser visitar algumas atrações específicas, sim. Eu não quis pagar e fiquei só na parte externa, que pra mim foi suficiente, já tinha muita coisa pra ver.

Catedral de Sâo Vito

Interior da Catedral de São Vito

Castelo ao fundo

Bom, a lenda diz que dá dinheiro tocar aí, então.. a gente toca, né?




Na volta pra casa, comi uma sobremesa típica de lá, conhecida como Trdelník, que não é desse mundo não. É tipo a massa do pão doce, feito de casquinha de sorvete, onde colocam sorvete e nutella dentro, ou seja, é pra morrer. Voltei pro hostel, descansei um pouco, e fui encontrar a Colleen num restaurante próximo ao rio, com uma vista maravilhosa. Mais tarde, voltei para o hostel, porque no outro dia, às 6h da manhã saía meu ônibus de volta para casa.


Morri.
Bela despedida.


E foi isso. A experiência de viajar sozinha foi ótima, conheci pessoas bacanas, a cidade é LINDÍSSIMA, super barata e vale muito a pena incluir no seu roteiro. Tem muita coisa que eu não consegui ver, MUITA MESMO, e eu pretendo voltar sem dúvidas. Aconselho muito a fazer os Tours se você estiver viajando sozinha, pois é uma oportunidade de conhecer pessoas novas e, mesmo se estiver acompanhado, vale a pena.


Até a próxima, Praga! Muito amor por esse lugar!


  • O hostel que eu fiquei foi o Little Quarter Hostel, fiz a reserva pelo Booking.com e custou no total 47 euros por 5 noites. O custo-benefício vale muito a pena, então não espere um hotel 5 estrelas. Peguei um quarto misto com 8 camas, mas fiquei num que só tinha 5 e não estava cheio nenhuma das noites, então foi tranquilo. O hostel tem vários banheiros por cada andar, o que é bom, é limpo todos os dias pelo pessoal, tem um caixa eletrônico na frente, e também faz troca de moedas na recepção. A localização é muito boa, bem centralizado, mas como nada é perfeito nessa vida, o hostel fica bem no meio de uma ladeirinha super chatinha, então prepara-te. Também havia um cheiro de esgoto em um dos banheiros do meu andar, mas nada que afetasse a estadia. Além disso, cada andar tinha uma cozinha maravilhosa, completinha, com fogão, microondas, geladeira, panelas e utensílios. Eu recomendo o hostel.

Até a próxima semana, galera.


Beijos,

Pri.

0 comentários:

Postar um comentário